newsletter

Cadastre-se para receber nossos informativos.

O melhor ano da indústria automobilística

Enviado por Redação em 07 de janeiro de 2010, às 13:03:28

2009 definitivamente foi um ano histórico.
Começou com o mundo em pânico com a crise econômica e, felizmente, terminou com muita comemoração - principalmente para a indústria automobilística nacional: a redução do IPI pelo governo, seguido pelo reaquecimento do mercado fizeram o setor bater recorde, com mais de 3 milhões de unidades vendidas.

 

Ao todo, o número de vendas de veículos em 2009 foi 11,35% maior do que em 2008. Considerando apenas as comercializações de automóveis e veículos comerciais leves, o aumento chega a 9,73% nas vendas. Considerando somente o último mês de dezembro, as vendas de automóveis foram 50,6% superiores em relação ao último mês de 2008, num total de 293.030 unidades.

 

A Fiat segue na liderança no segmento de automóveis e veículos comerciais leves com 24,49% de marketing share.

 

2009 também foi um ano muito especial para a Autobraz: além do sucesso de vendas, a concessionária foi agraciada com vários prêmios, locais e nacionais.

 

C de consumo

Enviado por Redação em 25 de novembro de 2009, às 12:25:34

Se você acha que quem movimenta o mercado e consome de verdade é quem tem dinheiro - as classes ditas "favorecidas" A e B, é melhor parar e rever seus conceitos. Apesar de ganhar menos de 10 salários mínimos, a chamada classe C - cerca de 90% da população - é hoje responsável por nada menos do que 79% do consumo em nosso país. E os números não param por aí: representam também 69% do mercado de cartões de crédito, 86% do total de internautas e movimentam 760 bilhões de reais por ano.

 

Renato Meirelles, responsável por uma pesquisa em parceria com o Instituto Datafolha sobre esse segmento, afirma "são milhares de consumidores com bolso de classe média e cabeça de baixa renda".

 

Fique de olho aberto e aprenda um pouco mais sobre essa fatia importante do mercado:

 

1. Consumo de inclusão: todos querem comprar, mas o importante é a qualidade - e não o status. O que vale é a abundância e não a exclusividade, como na classe A.
2. Acesso e qualidade: o dinheiro é valorizado e uma compra é um investimento. A margem de erro deve ser pequena - não dá para testar um produto, não gostar e ter que usá-lo até acabar.
3. Capilaridade, aval e segmentação: o ponto de venda deve ser próximo, pois as compras são feitas a pé. Se eles estiverem sem dinheiro, sempre podem apelar para o mercadinho que vende fiado.
4. Redes, dicas e boca a boca: são mais colaborativos e dividem a informação com a família e os vizinhos. Todos dão dicas de descontos, bons produtos e atendimento - e o melhor: uma vez conquistados, mantêm-se fiéis.
5. Tecnologia, família e investimento: o computador ocupa o lugar na sala que antes era só da TV. Representa uma forma maior de conhecimento, entretenimento e lazer.
6. Educação e cultura: caminho para a ascensão social. Estudar funciona como um plano de previdência familiar, pois melhora a qualidade de vida de todos.
7. Juventude geração C: esse é o nosso futuro. Seremos um Brasil com a cara dos jovens da atual classe C. Esse jovem tem voz ativa dentro da família. 68% estudou mais que os pais e não se deixam enganar por horóscopos, almas gêmeas, ET de Varginha, etc. Simplesmente não tem tempo para essas "bobagens".
8. Identidade e autoestima: valoriza a conquista e enaltece a origem. Aqui vale a pena prestar atenção nas raízes, regionalismo, comunidade e na igreja.
9. Vaidade e beleza: estar bem arrumada é uma forma de diminuir as barreiras étnicas e sociais. As mulheres gastam em média 50 reais por mês no salão e 89% afirmam que os cuidados pessoais a fazem se sentir melhor.
10. Novos papéis e nova família: a igualdade de direitos é mais visível aqui: 30% das famílias da classe C são chefiadas por mulheres.

A comemoração de hoje

Enviado por Redação em 16 de novembro de 2009, às 17:36:01


Para comemorar essa data mais que especial, o veículo promove logo mais um coquetel para o lançamento da sua edição de aniversário, da qual nós não poderíamos deixar de participar: desenvolvemos 3 anúncios para os clientes Armazém Pará, Autobraz e Sindipostos/RN homenageando o 12º aniversário do jornal.

 




A tp deseja vida longa ao jornal - e de preferência recheada de boas notícias.

 

Reconhecimento é bom e todo mundo gosta.

Enviado por Redação em 11 de novembro de 2009, às 11:43:12


Acontece amanhã o 1º Prêmio Mídia Bus.

 

Realizado pela Rota Mídia Exterior, a premiação é considerada inédita no mercado e premiará as melhores ideias exibidas nesse tipo de mídia.

 

Como não poderia ficar de fora, a tp inscreveu duas peças, desenvolvidas para diferentes campanhas do Armazém Pará.


Vamos cruzar os dedos e torcer!

 

Branding: o que fazer e não fazer com a marca da sua empresa

Enviado por Redação em 03 de novembro de 2009, às 20:17:55

O que é certo ou errado quando o assunto é marketing? Quais devem ser as principais preocupações do profissional envolvido com o desenvolvimento e a sobrevivência de uma marca?

 

Esses e outros tópicos são abordados no livro "As marcas no divã" de Jaime Troiano, considerado um dos maiores especialistas do assunto no Brasil.

 

Antes de tudo, o profissional de marketing deve saber bem a diferença entre aparência e essência de uma marca, o que se passa pela cabeça do público que consome essa marca, sua força, além do brand equity (valor patrimonial), a real importância do nome, o poder multiplicador de marcas fortes, entre outros.

 

Muitos pensam que o mais importante na criação de uma nova marca é a escolha do seu nome. Segundo Troiano isso é só o começo, pois "Nome não quer dizer muita coisa, mas sim o que se constrói ao redor da marca".

 

Um bom trabalho de Branding leva em conta o trabalho de Marketing que faz com que o consumidor busque projetos de felicidade com a marca. Foi comprovado através de pesquisas que uma marca pode ocupar o espaço de idealização na cabeça do consumidor e fazer com que ele seja visto e aceito como ele gostaria. A importância da realização de pesquisas também se estende à mensuração da força uma marca, bem como seu apelo junto ao público.

 

Outro fator a ser observado deve ser o poder das marcas fortes, considerado fator multiplicador. Como exemplo temos as várias extensões de uma mesma marca, lançadas no mercado diariamente.

 

Além de se preocupar com as marcas que estão nas gôndolas, a "marca-mãe" também precisa ser disseminada. Um exemplo recente pode ser visto ultimamente com a Unilever, em peças veiculadas em revistas e impressos variados sobre seu aniversário de 80 anos no Brasil. "A comunicação corporativa que veicula a marca das marcas remete à paternidade, poder de mercado, orgulho, reputação. Assim como as empresas mais prestigiadas publicadas todo ano na revista Época Negócios. Bons caminhos são a responsabilidade social e ambiental, qualidade de produtos e serviços, capacidade de inovação, admiração e confiança, história e evolução", destaca Troiano.

 

Para mais lições do que fazer e não fazer com a marca da sua empresa acesse:

 

http://www.mundodomarketing.com.br/11,11862,10-licoes-para-nao-cair-em-armadilhas-de-branding.htm

 

PDV deve refletir comportamento do consumidor

Enviado por Redação em 28 de outubro de 2009, às 15:31:29


A TNS InterScience apresentou durante o IV Seminário Marketing 360º a pesquisa DNA Shopper, que levantou dados sobre o comportamento do consumidor em supermercados. O instituto realizou observações através de filmagens e presença de pesquisadores dentro do ponto-de-venda, que entrevistaram consumidores antes e depois da compra.

 

"A compra muitas vezes tem motivações emocionais, por isso que não adianta apenas perguntar ao consumidor o porquê dele ter comprado determinado produto já que provavelmente nem ele saberá a resposta", orienta Julieta Dejean, Diretora Regional da Retail & Shopper Insights da TNS - América Latina.

 

Julieta salientou que, enquanto é importante reforçar questões de Marketing que competem unicamente às fabricantes, como a embalagem e comunicação no ponto-de-venda, é importante investir no Trade Marketin g para tratar de pontos onde o varejista é o principal encarregado.

 

Freqüência de ponto-de-venda aumentou em 8 anos A observação do longo percurso seguido pelo consumidor antes até a compra, por exemplo, é um dos pontos que poderiam ajudar no aumento de vendas. Segundo o levantamento da TNS, o consumidor atual gasta menos tempo em cada loja, apesar de visitá-las com mais freqüência - 4 vezes por semana, gastando 30 minutos cada vez em 2003, contra 1,5 vez e 45 minutos em 1995.

 

Como exemplo, Julieta apontou um case da cerveja preta Guiness. Incomodada com as vendas mais baixas em supermercados em contraponto a outros tipos de pontos-de-venda, descobriu através de uma pesquisa com a TNS que os seus produtos costumavam ficar retraídos ao fundo das galerias de bebidas. "Isso dava a idéia de uma bebida antiga e rejeitada, o que contradizia a publicidade focada em um público jovem e moderno", explica. Com a ajuda de materiais de pontos-de-venda expondo o produto, as vendas aumentaram em 23%.

 

Tempo da compra não é o mais importante para o consumidor A alteração da localização do produto dentro do ponto-de-venda também é relevante na diferença do registro de vendas. Para Julieta, pesquisas sobre o trajeto percorrido pelo consumidor dentro da loja e onde há mais concentração são fundamentais.

 

"É preciso colocar produtos básicos que muito provavelmente estarão no carrinho de compra do consumidor em locais de maior movimentação, já que isso facilita a compra e impede que pessoas que pretendem passar pouco tempo na loja [N.R. o que, segundo ela, são um público importante para os varejistas] acabem deixando de comprar alguns produtos", explica.

 

De qualquer forma, a pesquisa da TNS InterSciente aponta que, para o consumidor, o mais importante não é o tempo gasto na compra, mas a certeza de que está fazendo uma compra inteligente. "É preciso conciliar necessidade com conveniência", completa Julieta.

 

Excelência em atendimento

Enviado por Redação em 22 de outubro de 2009, às 16:47:13


A Autobraz recebe logo mais à noite Troféu e Certificado em Padrões de Atendimento da Fiat.

 

Em uma avaliação com mais de 300 itens, a concessionária obteve 100% de aprovação, sendo a única do Rio Grande do Norte a ter esse reconhecimento. Para se ter uma noção, das 436 concessionárias Fiat no país, somente 25 foram certificadas, sendo 5 na região Nordeste.

 

É com muito orgulho que a TP parabeniza toda a equipe Autobraz por essa importante conquista, que a coloca entre as melhores concessionárias do Brasil. Que venham muitos outros prêmios.

 

Mais sobre a premiação nos próximos posts, aguardem!

 


 

Quem viver, verá

Enviado por Redação em 21 de outubro de 2009, às 12:46:00


Um dos mais importantes jornais de circulação diária da capital, a Tribuna do Norte promove anualmente o Top Natal, premiação que coroa as empresas do setor varejista e de serviços mais lembradas pelo consumidor local.

 

Em sua 8ª edição, o prêmio já se tornou referência, além de ser um dos eventos mais aguardados do mercado, pois além das empresas, as agências de publicidade têm no Top Natal a oportunidade de ver o posicionamento das marcas de seus clientes junto ao público.

 

Um dos segredos do sucesso e confiança crescente do prêmio é sua total credibilidade, uma vez que é realizado através de pesquisa espontânea, com pessoas das classes A, B e C nos principais bairros da cidade.

 

sua marca vendendo feito água

Enviado por Redação em 20 de agosto de 2009, às 16:59:18



Imagine-se caminhando nas ruas da cidade em pleno verão. Aquele solzão batendo forte na moleira. Nessas horas, a melhor coisa do mundo seria alguém aparecendo com uma garrafa geladíssima de água mineral à sua frente, não é verdade?

Imagine se alguém realmente aparecesse com essa garrafa d'água. E sem cobrar nada. Não seria uma cena para ficar na memória?

A empresa londrina Soak Media também imaginou isso. E inovou o mercado inglês com uma grande sacada: vender espaço publicitário para empresas deixarem suas marcas adesivadas a garrafas de água mineral, que seriam distribuídas durante o verão ao público em geral, sem custo algum.

Para agregar ainda mais valor à ideia, a Soak Media reverte parte da renda para investimentos em órgãos de caridade.

Mais um exemplo de mídia alternativa com excelente senso de oportunidade.


(via ADivertido)

restos de comida atraem leões

Enviado por Redação em 29 de julho de 2009, às 15:57:12



Anúncio sem título. Sem texto explicativo. Sem manipulação hard de imagens. Apenas uma fotografia, o nome do serviço, endereço e o horário de funcionamento. Parece não fazer sentido algum, certo?

Mas fez. E fez tanto que rendeu para a agência francesa CLM BBDO um Leão no Festival de Cannes em 2007.

Essa foi a campanha realizada para o restaurante do MAC/VAL, o Museu de Arte Contemporânea de Val-de-Marne, em Paris:







(via Adoholik)
« Anterior  1  2  3  4  5  6  7  Próximo »

nossos clientes

Conheça nosso portfolio e nossos clientes.



arquivo

categorias

siga ::